A engenharia por trás das latinhas de bebida Veja porque elas têm a forma que conhecemos atualmente

Elas são tão comuns no nosso dia a dia que às vezes nem nos damos conta da engenharia que tem por trás delas. Por ano, são produzidas mais de meio trilhão de latinhas, e elas já foram bem diferentes da forma cilíndrica que conhecemos.

A forma cilíndrica e chanfrada usual para as latas foi resultado de uma busca por ergonomia e economia. Em 1960, elas eram puras de alumínio e mantinham toda a pressão dentro. Em relação a essas, atualmente se gasta 90 milhões de quilos de alumínio por ano.

Nesse vídeo, você confere mais curiosidades:

O lacre das latinhas, que hoje garante inclusive a sensação de prazer ao beber o líquido, foi introduzido pela primeira vez nos anos 1960, antes disso, a latinha vinha com abas para ajudar a perfurar a lata.

As latas são produzidas a partir de folhas de alumínio prensadas. O corpo e resistência da lata é produzido pela pressão, e são 11 estágios de alongamento e compressão até ficar no formato certo.

A base da lata também é feita para melhorar a resistência, ele distribui melhor a pressão para os pontos mais fortes da lata, com muita semelhança ao design de uma ponte em arco. (A carga é direcionada do centro para as regiões externas para reduzir a tensão nas porções mais finas internas). De tal forma, podemos empilhar quantas latas quisermos sem se preocupar se irão falhar sob pressão.

 

Veja mais em: Interesting Engieneering

Deixe uma resposta