Brasileira é semifinalista em olimpíada de engenharia nuclear

Alice Cunha da Silva, estudante do último ano de engenharia nuclear na Universidade Federal do Rio de Janeiro é a única semifinalista do Brasil e das Américas na Nuclear Olympiad, uma competição internacional de engenharia nuclear promovida pela World Nuclear University (WNU), uma rede internacional de educação voltada para os usos pacíficos da energia nuclear. A competição consiste em premiar alunos de graduação e pós-graduação que apresentem aplicações nucleares além da geração de energia ou combustível.

885x592-29582-599153380157605-1764865541-n-20150706113531

Ao ficar sabendo do concurso pelo Facebook, Alice decidiu se inscrever na olimpíada para falar sobre medicina nuclear, usada em tratamentos contra o câncer, mesma doença de sua avó. “É uma área grande e interessante que tem salvado vidas e muita gente não sabe disso”, diz.

Alice teve que criar um vídeo de no máximo 60 segundos sobre o tema escolhido: os radiofármacos. Radiofármacos são remédios ingeridos ou inalados pelo paciente que podem se concentrar em regiões isoladas do corpo. Assim, com câmeras especiais, os médicos podem ver uma imagem melhor de determinados órgãos, permitindo fornecer diagnósticos mais precisos da doença.

Até aqui, o vídeo de Alice passou por uma triagem com os juízes da World Nuclear University, além contabilizarem o número de curtidas no YouTube. E por conta do conteúdo, criatividade e relevância do tema, Alice está entre os 10 semifinalistas do mundo inteiro.

A final será no dia 17 de setembro na Agência Internacional de Energia Atômica, em Viena, na Áustria, e para estar entre os quatro finalistas, o vídeo de Alice deve ter um dos maiores números de curtidas.

Alice durante III Semana de Engenharia Nuclear da UFRJ, em 2013
Alice durante III Semana de Engenharia Nuclear da UFRJ, em 2013

Alice já tem um longo histórico de destaque na engenharia: estudou por um ano nos Estados Unidos pelo programa Ciência sem Fronteiras, já teve a oportunidade de apresentar seu trabalho em um congresso organizado pelo MIT e chegou a co-fundar e presidir a Seção Estudantil de Engenharia Nuclear da UFRJ. Em 2012, seu trabalho foi eleito como o melhor projeto do Centro de Tecnologia durante a Jornada de Iniciação Científica em sua universidade.

Para ajudar Alice, acesse o vídeo no YouTube até quinta-feira, 9 de julho, e clique no botão ‘Gostar’, para que a curtida possa ser contabilizada na contagem.

Via Info

Douglas Moura

Fundador do Engenharia Livre, engenheiro civil e programador. Procuro sempre compartilhar as melhores informações do mundo da Engenharia.
Deixe um comentário em Brasileira é semifinalista em olimpíada de engenharia nuclear