Por que engenheiros devem aprender a programar? Pare de desperdiçar tempo e automatize tarefas tediosas

Todos os dias desenvolvemos diferentes atividades, dentro delas, temos diversas rotinas e muitas delas são repetitivas e entediantes. No cotidiano de engenheiros e engenheiras, isso não é diferente. Com certeza você já teve que digitalizar seus dados de campo, atualizar planilhas e seus gráficos e realizar análises estatítiscas rotineiras – todas elas ocupam demais seu tempo, o qual você deveria gastar pensando em soluções e inovações para a sua empresa ou para a sociedade.

Além disso, com o uso de data logger e outros mecanismos para captação de informações, temos uma avalanche de dados para serem interpretados e, muitas vezes, estatísticas básicas (como média e desvio padrão) não são suficientes para compreender e extrair conhecimento deles.

Esses problemas aparecem na vida de todo engenheiro(a) (e de outros profissionais também), então imagine se pudermos automatizar tais tarefas e conseguir compreender milhares de dados? Na verdade, podemos. Basta um pouco de conhecimento em programação para implementarmos novas ferramentas, deixarmos tais tarefas tediosas para trás e extrair o máximo possível dos nossos dados.

Mas qual é a melhor linguagem de programação? Isso vai depender da sua área de atuação. Por exemplo, Engenheiros Ambientais podem se especializar em R, MATLAB ou Python, mas por que essas três?

  • R: Para interpretação de dados de monitoramentos ambientais usando estatística. Comparar diversas amostras de várias campanhas se faz necessário, e se fossemos atualizar a tabela do Excel para obter novos gráficos, isso tomaria muito tempo. Além disso, ao trabalhar com amostras, o ideal é utilizar análises estatísticas para verificar se as diferenças entre as campanhas realmente existem;
  • MATLAB: Para a modelagem de fenômenos ambientais, os quais são descritos por equações, ou até mesmo sistemas de equações, complexas, necessitando de uma linguagem própria para tal;

  • Python: Para automatizar análises espaciais, pois muitos dos softwares de geoprocessamento possibilitam o uso de Python para desenvolver muitas de suas tarefas (veja por exemplo, o ArcGIS e o QGIS).

Outras linguagens de programação também são possíveis. Engenheiros civis podem aprender a usar Visual Basic fpr Applications (VBA) para desenvolver ferramentas no Microsoft Excel e facilitar análises complexas de custos. Engenheiros podem aprender LaTeX para não ter mais dores de cabeça com o Microsoft Word. Dependendo do problema que você quer solucionar, uma linguagem de programação pode te auxiliar a resolve-lo.

Mas também não nos limitaremos somente a isso, podemos ainda desenvolver aplicativos para facilitar nosso dia-a-dia e até mesmo nos promover (obviamente, no seu aplicativo, você colocará seu nome e o nome da sua empresa).

Após você aprender a linguagem de programação desejada, você provavelmente passará um pouco de tempo no inicio para automatizar seu sistema, mas pense nas vantagens, futuramente, sempre que você precisar executá-la, você irá apenas clicar num botão e em seguida, receberá os novos dados para a sua interpretação – É para isso que você é bem pago, caro Engenheiro(a), para entender situações complexas e fornecer uma solução.

Portanto, se você quer facilitar e automatizar suas atividades rotineiras, verifique se há uma linguagem de programação disponível para vocẽ, e mãos a obra!

Deixe uma resposta